terça-feira, 2 de junho de 2015

Ponte de Pedra em Nova Olinda, Ceará


“No meio do caminho, tinha uma pedra. Tinha uma pedra no meio do caminho”, poderiam ter pensado os índios Kariri ao verem a rocha em formato de ponte, supondo que foi a água do rio que passa ali embaixo, nos períodos de chuva, que cavou o buraco e a fez ficar neste formato. Mas Drummond ainda não havia nascido e a explicação foi outra: aquela era uma ponte de pedra que ligava um lago mágico a um castelo, também encantado.

O tal castelo é uma outra formação rochosa, um pouco distante dali, que se assemelha a duas torres. Já o lago, onde viveria uma princesa com rosto de serpente e corpo de mulher, é o Olho D’Água, que pode ser acessado por uma trilha não sinalizada pelo Geopark.

Realmente é uma formação curiosa, mas é preciso entender o contexto para achar o lugar legal. Importante saber que por lá foram achados diversos artefatos arqueológicos, e pinturas rupestres em locais próximos.
Quem entende muito disso é o pessoal da Fundação Casa Grande, de Nova Olinda. Entende tanto, que o projeto começou com o Memorial do Homem Kariri, e os caminhos percorridos pelos primeiros habitantes da Chapada do Araripe são tema de doutorado da arqueóloga Rosiane Limaverde, fundadora da ONG junto com Alemberg Quindins. Vale uma visita à Fundação, parceira do Geopark Araripe, antes de ir ao geossítio.

Como cheguei lá
A entrada do geossítio fica na beira da estrada CE-292, que liga o Crato às cidades do oeste do Cariri. Fica no município de Nova Olinda, há 9 km da entrada da cidade (para quem vai do Crato, 9 km antes de chegar em Nova Olinda, do lado direito da pista).

Há uma identificação na estrada, por onde passam diversas Topics (vans), então é possível chegar de transporte público.
Se for de carro, tem como entrar na estradinha ao lado, e estacionar.


Postar um comentário

Seguidores